Home » Destaque » Transporte alternativo há mais de 1 ano espera pelo governo
Publicado em: 24 de fevereiro de 2017 - Ás: 02:47 - Categorias: Destaque> Política.

Transporte alternativo há mais de 1 ano espera pelo governo

capa

TERESINA-PI Dia (22/02) quarta-feira, mais um capítulo da novela “Transporte Alternativo no Piauí.” As pessoas que usam o alternativo no dia a dia, para atividades diversas na capital não faz ideia do drama que a categoria passa que é, à ameaça da suspensão desta atividade no estado do Piauí.

Em 1999 o governo licitou, ou seja, deu legalidade ao transporte alternativo. As pessoas tinham agora além do ônibus convencional a opção rápida do alternativo, e isso não agradou os empresários (ônibus convencional) e a partir daí, uma luta de interesses começou.

Em Outubro de 2015 (foto) o desembargador Brandão mandava “parar” todos os veículos de transporte alternativo. Esta paralisação causou um prejuízo enorme para usuários do transporte e proprietários dos veículos, que sustentam suas famílias com a renda desta atividade comercial. A categoria foi para a porta do palácio de Karnak com os micro-ônibus, e acamparam ali por quase uma semana, para tentar uma audiência com o governador Wellington Dias  e discutir a paralisação. O governador recebeu o presidente Miranda Neto, e o transporte alternativo voltou a rodar. Quanto a legalidade o assunto ficou na expectativa de ser definido.

12118909_533788033446911_2444595277427791724_n

Um ano depois, nada aconteceu, e a categoria voltou nesta quarta-feira (22/02) ao Palácio de Karnak para uma nova audiência com o governador Wellington Dias. Cerca de trinta micro-ônibus (foto) estacionaram na frente e aos lados do palácio.

DSCF7815

Miranda Neto disse ao Portal luzilandiaonline que:…desde 1999 o transporte alternativo foi licitado… nós ganhemos no Supremo Tribunal de Justiça o direito adquirido de rodar nas linhas existentes com relação aos eixos. O governador Wellington Dias deu este contrato em mandatos passados, passou outros governos, ficou só enrolando, e hoje rodamos sem contrato, porém somos licitados, os empresários não! Mais isso é um questionamento do governo! Mais o que é que nós queremos, queremos nossos contratos para renovar a frota; a ordem de serviços para organizar os passageiros, e o alternativo hoje não tem mais como acabar, são vinte anos, ele faz um trabalho social de trazer as pessoas para o polo de saúde, fazer hemodiálise, tratamentos. E queremos do governo, que ele olhe os processos com cuidado, porém agente só sai daqui com uma posição definitiva.  

mira1
Miranda Neto

Por volta do meio dia, o governador Wellington Dias recebe o presidente da categoria Miranda Neto. Após conversarem sobre o caso, uma nova reunião foi marcada para sexta-feira (24/02) onde o governador deve resolver o problema do alternativo, disse: Miranda Neto.

mira2

Por Sousa Neto

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta