Home » Destaque » Piauí registra aumento de 740,4% de casos prováveis de chikungunya
Publicado em: 21 de agosto de 2016 - Ás: 02:24 - Categorias: Destaque> Saúde.

Piauí registra aumento de 740,4% de casos prováveis de chikungunya

inseto e bandeira

O Piauí registrou um aumento de 740,4% de casos prováveis de chikungunya nos oito primeiros meses desse ano se comparado ao mesmo período do ano passado. Ao todo, foram 2.143 casos notificados, sendo 736 já confirmados por exames laboratoriais em 2016. Os dados são da secretaria de saúde do Piauí.

No que se refere aos casos de dengue, o Piauí registrou 4.813, em 154 municípios, o que significa uma redução de 33% em relação ao ano passado. Cinco municípios concentram os maiores números de casos suspeitos: Teresina, Cocal, Simões, Picos e Caldeirão Grande.
Enquanto no ano passado foram notificados apenas quatro casos suspeitos de zika vírus, em 2016, o estado já registrou 331.

Pra alertar e mobilizar os municípios no de combate as doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti, a Secretaria de Estado da Saúde realiza, no dia 31 de agosto, o 2º Seminário Estadual de Contingência da Dengue, Zika e Chikungunya e de abordagem emergencial de Microcefalia para 2º semestre de 2016, no auditório da Associação dos Municípios Piauienses (APPM).

De acordo com a gerente de Vigilância em Saúde, Miriane Araújo, esse seminário tem como objetivo avaliar o impacto das ações executadas no primeiro semestre. “Vamos explanar sobre os planos para o segundo semestre, enfatizando o papel dos municípios. Além disso, outro grande objetivo é alertar aos municípios para que eles permaneçam constantemente vigilantes em relação a essas arboviroses”, disse.

Microcefalia
A atualização do boletim epidemiológico mostra que no Piauí foram notificados 183 casos notificados de microcefalia. Destes, noventa e dois já foram confirmados, sendo dois deles relacionados ao zika vírus. Além disso, dos 183, treze seguem em investigação e 78 foram descartados.

G1 Piauí

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta