Home » Destaque » Deflagrada Operação Déspota no Piaui, 17 prefeituras estão sendo investigadas
Publicado em: 16 de julho de 2016 - Ás: 21:13 - Categorias: Destaque> Política.

Deflagrada Operação Déspota no Piaui, 17 prefeituras estão sendo investigadas

coletiva-sobre-a-operacao-despota-367102

“Nós já conseguimos identificar 17 prefeituras, onde pessoas desse mesmo grupo também atuam”, relatou.

BRUNNO SUÊNIO E GIL SOBREIRA, DO GP1
Atualizada em 15/07/2016 – 13h08
O Ministério Público realizou, na manhã desta sexta-feira (15), entrevista coletiva sobre aOperação Déspota, deflagrada ontem (14), que resultou na prisão do prefeito de Redenção do Gurgueia, Delano Parente, do seu pai que também é secretário de Infraestrutura, Aldenes de Sousa Nunes, além do advogado Igor Martins e outras pessoas envolvidas em fraudes em licitações na prefeitura.
Em entrevista exclusiva ao GP1, o Coordenador do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), Rômulo Cordão, relatou que o grupo preso durante a Operação Déspota tem ramificações em outras 17 prefeituras. “Nós já conseguimos identificar 17 prefeituras, onde pessoas desse mesmo grupo também atuam. Outras investigações estão em curso e pode ter outras operações posteriores”, ressaltou o coordenador.
Confira a relação dos presos

Durante a coletiva, foram divulgados os nomes dos alvos dos mandados cumpridos na operação. Todos foram presos, com exceção de Fátima Salvadora e Magnaldo Pereira.

presos-na-operacao-despota-367122
Presos na Operação
locais-onde-foram-feitas-as-buscas-e-apreensoes-367124
Presos na Operação
Gaeco

De acordo com o Procurador Geral de Justiça, Cleandro Moura, as investigações que culminaram com a prisão do prefeito Delano Parente, durante a Operação Déspota, é o resultado do primeiro trabalho do Gaeco, desde a instauração do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado.

cleandro-alves-de-moura-367099
Cleandro Alves de Moura
“Gostaria de ressaltar que nós temos investido maciçamente nessa questão tecnológica. O Gaeco já conta com 4 anos de existência, mas essa é a primeira vez que nós fazemos uma investigação que chegamos a resultados positivos. Isso decorre logicamente da nova postura do Ministério Público, que tem dentre seus lemas desse ano e da nossa gestão, justamente o combate à corrupção. Tenho certeza que nós vamos mudar a cara do estado do Piauí. As investigações continuam, outras denúncias estão sendo apuradas”, disse o Procurador Geral de Justiça, Cleandro Moura.
Negociação de licitação
prefeito-delano-parente-chegando-ao-gaeco-366975
Prefeito Delano Parente chegando ao Gaeco
A polícia divulgou áudio que mostra o prefeito Delano Parente negociando esquema para fraudar licitação. No áudio fica claro que o gestor usa de artifícios para dispensar licitações na prefeitura.

Mais prefeituras

O advogado Igor Martins Ferreira de Carvalho, preso na Operação Déspota, foi denunciado neste ano ao Tribunal de Justiça, pelo Ministério Público do Estado do Piauí, por conta dos mesmos crimes (fraudes em licitações). Dessa vez, a investigação apura o suposto esquema na prefeitura de Oeiras.

De acordo com a denúncia, o prefeito de Oeiras, Lukano Sá, baixou em 02 de janeiro de 2013, o Decreto de Emergência n° 015/2013. No dia seguinte, o presidente da Comissão Permanente de Licitação, Alexandre de Almeida Martins Lima deu início ao Procedimento Licitatório n° 01/2013 para a contratação de serviços de assessoria jurídica em geral.

advogado-igor-martins-366970
Advogado Igor Martins
Em 04 de janeiro de 2013, o secretário de administração e finanças José Raimundo de Sá Lopes e o prefeito Lukano Sá chancelaram a contratação do escritório Igor Martins e Advogados Associados EPP, quem tem como sócio administrador o advogado Igor Martins Ferreira de Carvalho.

Em 07 de janeiro de 2013, todos os documentos relativos à regularidade fiscal e trabalhista do escritório já estavam nos autos e na mesma data o procurador do município Alexandre de Deus Barbosa avalizava a inexigibilidade de licitação, dando parecer favorável à contratação direta.

O procurador Cleandro Moura relatou na peça acusatória, que o açodamento foi tão acintoso que o advogado Igor Martins Ferreira de Carvalho firmou falsa declaração ao dizer que seu escritório de advocacia “não possui, no quadro, servidor ou dirigente de órgão ou entidade contratante ou responsável pela licitação”. No entanto, o Presidente da Comissão de Licitação do município de Oeiras, Alexandre de Almeida Martins Lima, nomeado pelo prefeito Lukano Sá em 02 de janeiro de 2013, também é um dos advogados que atuam junto a sociedade advocatícia Igor Martins e Advogados Associados.

GP1

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta