Home » Destaque » URGENTE:Piauí gastou em publicidade quase 35% a mais do que com segurança
Publicado em: 26 de abril de 2016 - Ás: 04:14 - Categorias: Destaque> Política.

URGENTE:Piauí gastou em publicidade quase 35% a mais do que com segurança

infografia1

O Estado do Piauí, no primeiro trimestre de 2016, gastou mais com publicidade do que com segurança pública. É o que revela o levantamento realizado pelo BrVox, a pedido do 180graus, junto aos dados do Portal da Transparência referentes aos empenhos realizados pelas duas secretarias nos meses de janeiro, fevereiro e março.

Foram R$ 8,150,187.81 empenhados pela CCOM, quase 35% a mais do que os empenhos da Segurança, que totalizaram R$ 5,328,669.37.

Enquanto a Segurança se esforça para manter pagamentos básicos como água, luz, alimentação, telefonia, limpeza, entre outros gastos com pessoas jurídicas – levantamento não incluiu despesas com pessoal – a Coordenadoria de Comunicação do Estado aplica recursos no pagamento de dezenas de empresas, de pequeno a grande porte, para a divulgação das ações do governo Wellington Dias (PT) e seu secretariado.

Divulgação esta, que não vem refletindo nos números para o governador. Pesquisas realizadas recentemente mostram Wellington abaixo dos 50% no incide de aprovação entre os eleitores piauienses. Afetado, claro, pela crise nacional envolvendo o governo Dilma, o governador está relativamente bem, afinal 48% de aprovação é um número bom, mas poderia estar melhor se considerados os esforços de João Rodrigues Filho, Coordenador de Comunicação do Estado.

DIFICULDADES DE ABREU
Os problemas enfrentados por Fábio Abreu na Segurança, por algumas vezes, já o fizeram repensar o cargo e desejar a volta para o Congresso Nacional. No nível em que está, os investimentos em segurança pública tão cedo conseguiram afastar o Piauí de índices como a de 12ª capital mais violenta do país, e do vergonhoso investimento diário de apenas R$ 0,05 por dia com segurança, para cada cidadão.

seguranca-3

FONTE DE JOÃO RODRIGUES É PRÓSPERA
Se a fonte de Abreu não é das melhores, a de João Rodrigues parece não secar. O coordenador de Comunicação tem feito pagamentos para pequenas rádios comunitárias, sites de cidades de interior, blogs específicos na área política – modelo democrático – insistindo que este é o caminho, e que desta carne não se pode cortar.

ccom1ccom2ccom3ccom4ccom5

 

 Fonte: 180 graus

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta